O HPV (Human Papiloma Virus) é um vírus que se transmite pelo contato com a pele. Em 98% dos casos as transmissões ocorrem através do contato sexual e por isso pode ser considerada uma doença sexualmente transmissível (DST). Existem atualmente mais de 200 tipos de HPV. Até hoje 150 deles já foram identificados e sequenciados geneticamente. Entre eles, apenas 14 podem causar lesões precursoras de câncer, como o câncer de colo de útero, vulva, vagina ou ânus. A prevenção do HPV é possível e deve ser do conhecimento de todos.

O principal sintoma do HPV é o surgimento de verrugas ou lesões na pele, que pode iniciar como uma manchinha branca ou acastanhada que coça. Normalmente as lesões aparecem na região genital como vulva, vagina e colo do útero da mulher. Na genitália masculina, o pênis é o local mais comum para o aparecimento do HPV. Em ambos os gêneros, o ânus, garganta, boca, pés e mãos são locais em que o HPV também costuma se manifestar.

Outro ponto sobre o HPV é que, apesar de os sintomas normalmente se manifestarem entre dois e oito meses após a infecção, ele pode ficar presente no organismo, mas sem se manifestar, por muitos anos. Por isso é praticamente impossível saber quando uma pessoa foi infectada pelo HPV. O vírus pode ser transmitido mesmo quando ela não percebe ter os sintomas. Mais de 90% dessas pessoas conseguem eliminar o vírus do HPV do organismo naturalmente, sem ter manifestações clínicas.

Alguns fatores de risco aumentam a chance do aparecimento das lesões induzidas pelo HPV como: sexo sem proteção, início precoce da atividade sexual, múltiplos parceiros, presença de outras doenças sexualmente transmissíveis e imunodepressão (alteração da resposta imunológica em nosso organismo que pode aparecer associada a múltiplas gestações, tabagismo, infecção pelo HIV, tratamento com quimioterapia, radioterapia ou imunossupressores).

O HPV pode causar lesões que são visualizadas pelo exame clínico, mas muitas vezes a lesão pode não ser visível a olho nu, aparecendo apenas em exames como colposcopia, vulvoscopia ou peniscopia. Outra vezes só é detectado no exame preventivo.

Não se trata a infecção pelo HPV, mas sim as lesões causadas pelo virus e as opções de tratamento são diversas dependendo do tipo de lesão. O tratamento pode ser realizado com cremes, ácidos, laser ou cirurgia. O HPV pode ser eliminado espontaneamente pelo organismo principalmente em pessoas mais jovens.

A vacinação contra o HPV é a melhor maneira de prevenir a doença. Existem duas vacinas aprovadas e registradas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e que estão disponíveis comercialmente. As vacinas contra o HPV previnem aproximadamente 70% dos casos de câncer de colo do útero.

O uso da camisinha é importante para evitar a transmissão do HPV e não deve ser esquecida mesmo durante o sexo anal ou oral. A camisinha feminina é uma boa aliada, pois permite um contato menor ainda entre a pele dos parceiros.

É importante que meninas e meninos sejam vacinados contra o HPV e que a vacina seja aplicada preferencialmente antes do início da atividade sexual. Lembrar que mesmo após a vacinação as mulheres devem continuar fazendo os exames preventivos de rotina.

 

Telma Maria Rossi de Figueiredo Franco
Coordenadora do Serviço de Ginecologia Oncológica do Instituto Mário Penna

Olá, como podemos ajudar?

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.