fbpx

ESTUDO NEP: entenda como a inteligência artificial pode ser aplicada no combate ao câncer

Somos únicos e isso faz com que exista grande diversidade de desfechos clínicos quando o assunto é o câncer. Cada pessoa pode apresentar uma resposta a um tratamento completamente diferente de outra, mas sempre existirá um padrão a ser observado quando consideramos um grupo de pacientes. Neste contexto, a oncologia tem caminhado a passos largos na direção de realizar tratamentos cada vez mais personalizados aos pacientes que estão na luta contra o câncer. Isso traz diagnósticos mais rápidos e assertivos e possibilita decisões clínicas mais precisas na determinação de estratégias de tratamento.

Atualmente, os médicos podem contar com o auxílio da inteligência artificial para apoiar as tomadas de decisões. Você sabe o que é inteligência artificial? São programas de computadores que buscam especificamente padrões, semelhanças entre o que está sendo observado em um determinado paciente e o que foi observado em outros pacientes já tratados anteriormente. Baseando-se em dados acumulados ao longo do tempo de centenas e, às vezes, milhares de outros pacientes com o mesmo problema, os programas conseguem comparar e, rapidamente, determinar previamente a condição do paciente, dando ao médico a oportunidade de tratar o caso de maneira mais eficiente e personalizada.

Os pesquisadores e médicos do Núcleo de Ensino e Pesquisa (NEP) aqui do Instituto Mário Penna estão atentos a essa perspectiva de inovação no tratamento do câncer e publicaram dois estudos que desenvolveram sistema usando inteligência artificial. Um dos estudos publicado na revista científica internacional, a Modern Pathology, Dr. Paulo Guilherme de Oliveira Salles, Diretor do NEP, desenvolveu um sistema de inteligência artificial para apoiar o médico patologista no diagnóstico do câncer de próstata. O outro, publicado na Journal Clinical Oncology, pela Dra. Letícia da Conceição Braga, coordenadora do Laboratório de Pesquisa Básica e Translacional, descreve um sistema de predição inteligente para avaliação do risco de recorrência e benefício ao tratamento quimioterápico em câncer de ovário.

“A grande vantagem do uso da inteligência artificial como ferramenta no combate ao câncer é a capacidade dos programas aprenderem com novos dados e se tornarem melhores a cada uso, bem como de conseguir lidar com um volume de dados enorme em um intervalo de tempo consideravelmente baixo” ; explica o pesquisador do Laboratório de Pesquisa Básica e Translacional do NEP, Dr. Fábio Ribeiro Queiroz.

Quer conhecer as publicações dos nossos pesquisadores? Acesse os links abaixo.

https://doi.org/10.4238/2015.October.28.13

https://ascopubs.org/doi/abs/10.1200/JCO.2020.38.15_suppl.e18075

 

*Texto escrito pelo Dr. Fábio Ribeiro Queiroz

NEP: Hospital Luxemburgo participa de estudo sobre efeitos da radioterapia

Atualmente, o tratamento do câncer acontece por meio da cirurgia, radioterapia e quimioterapia. Na radioterapia são utilizadas radiações ionizantes de alta energia, objetivando destruir células do tumor e poupando células saudáveis que estão no seu torno. Um dos problemas decorrentes do tratamento da radioterapia é justamente a irradiação destas células normais, ficando sempre a questão sobre o que pode acontecer com estas células. Muito se sabe sobre a interação da radiação com o meio biológico, mas muito ainda tem para se aprender sobre a interação da radiação ionizante com a função das várias células que compõe o corpo humano e com os mecanismos de interação desta célula com a sua “vizinhança”.

Físicos Clara e Jony

No dia 9 de setembro foi publicado na revista internacional Heliyon Cell Press um estudo sobre a ação da radioterapia na função de macrófagos presentes no baço de mamíferos. Este estudo, desenvolvido por um grupo pesquisadores da Faculdade de Medicina da UFMG, coordenado pelo Dr. Fernando P. de Faria e supervisionado pelo prof. Dr. Andy Petroianu, contou com a participação do Hospital Luxemburgo e dos físicos médicos Clara Bicalho e Jony Marques, ambos colaboradores da Radioterapia.

A função fagocitária das células é muito importante, pois ela permite que elementos do meio extracelular sejam transportados para dentro da célula. Neste estudo, pigmentos de carbono foram admitidos para dentro das células do baço e verificou-se que, nas células não irradiadas, os pigmentos de carbono foram capturados pelos macrófagos nas polpas vermelha e branca. Enquanto isso, nos grupos irradiados, a captação de pigmentos de carbono na zona marginal, ao redor da polpa branca, foi aumentada. Não foram observadas presença de necrose nas células irradiadas, mas houve, além da alteração na quantidade de macrófagos da zona marginal, alteração na capacidade de eliminação pelo baço.

Outros desdobramentos deste estudo ainda estão sendo aguardados a fim de se entender a fundo o mecanismo de alteração desta função fagocitária, o que pode ajudar no entendimento dos efeitos coletarias da radioterapia, visando formas de revertê-los ou atenuá-los. O acesso à publicação pode ser feito clicando aqui.

Novembro Azul: Instituto Mário Penna alerta para a prevenção do câncer de próstata

No Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens e o Novembro Azul chegou para alertar sobre o diagnóstico precoce da doença. O Instituto Mário Penna apoia a campanha com o tema “Previna-se contra o câncer de próstata e continue a escrever a sua história”.

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), em sua fase inicial, o câncer da próstata tem evolução silenciosa. Na fase avançada, pode provocar dor óssea, sintomas urinários ou, quando mais grave, infecção generalizada ou insuficiência renal.

A detecção precoce é uma estratégia para encontrar o tumor em fase inicial e, assim, possibilitar melhor chance de tratamento. “A detecção pode ser feita por meio de exames clínicos e laboratoriais. No caso do câncer de próstata, esses exames são o toque retal e o exame de sangue para avaliar a dosagem do PSA (antígeno prostático específico)”; explica Dr. Alexandre Menezes, Urologista do Instituto Mário Penna.

O diagnóstico precoce desse tipo de câncer possibilita melhores resultados no tratamento. “Os homens com mais de 50 anos devem procurar um urologista para fazer o exame preventivo. É importante ressaltar que essa orientação é válida a partir dos 40 anos para aqueles que têm a pele negra ou que possuem casos confirmados na família”; diz Dr. Alexandre Menezes.

Instituto Mário Penna – A equipe de urologia do Instituto Mário Penna é formada por 10 profissionais, além de residentes médicos.

Referência em atendimento oncológico pelo SUS em Minas Gerais, o Instituto realizou, no último ano, mais de 20 mil procedimentos urológicos. Além disso, 1.240 pacientes foram atendidos pelos profissionais da urologia e quase 9 mil cirurgias foram realizadas.

Novembro Azul – As ações do Novembro Azul deste ano acontecerão de forma on-line, devido à pandemia. Nossos especialistas realizarão lives e produzirão vídeos para divulgações em nossas redes sociais, tirando dúvidas e esclarecendo a importância do diagnóstico precoce do câncer de próstata.

Instituto Mário Penna recebe novos equipamentos

A parceria entre o Instituto Mário Penna e o Mineirão continua rendendo bons frutos. Desta vez, a Instituição recebeu novos equipamentos que foram comprados com a verba da campanha “Tropeiro do Bem”, realizada pelo estádio em outubro durante campanha Outubro Rosa.

Dentre o material, estão equipamentos como: Centrifuga laboratorial, afastador universal, cabo de luz simples, fonte de luz Fiber Luz, afastador com fonte aramados tipo gora e kit sutura Rhosse.

A mastologista do Instituto, Kerstin Kapp Rangel, fala da importância da ação. “É com muita alegria que nós agradecemos essa ação. Esse material vai servir, principalmente, para a cirurgia onco plástica das nossas pacientes. Nós agradecemos muito ao Mineirão, que foi quem promoveu essa campanha, e ao Instituto Mário Penna, que possibilitou a compra com o recurso”.

 

Outras ações

Além da aquisição de equipamentos, o valor também foi destinado à doação de um “kit consulta”, entregue para as torcedoras com mais de 40 anos em maço, durante jogos no Mineirão, e que dão direito a consultas e exames de mamografia.

Minas Sul doa oito caixas de dieta enteral ao Instituto Mário Penna

A suplementação é parte fundamental na recuperação da maioria dos pacientes oncológicos, principalmente quando é preciso uma dieta especial. Nesta semana, o Instituto Mário Penna recebeu a doação de oito caixas de dieta enteral industrializada da Empresa Minas Sul.

Todo o material será utilizado para consumo interno dos pacientes do Instituto Mário Penna e para doação no momento da alta hospitalar para os pacientes em uso de sonda.

 

“Agradecemos muito à Minas Sul pela ajuda, principalmente em um momento tão difícil. Também somos gratos à Dra. Isabel Correia, que nos ajudou a viabilizar essa doação”, disse Dra. Reni Cecília, Diretora Médica.

Você também pode ajudar o Instituto Mário Penna. Ligue 0800 039 1441 ou acesse mariopenna.org.br.

 

Olá, como podemos ajudar?