InfoFarma e a Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial

O Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial é celebrado no dia 26 de abril. A data tem como objetivo a prevenção, o diagnóstico precoce e o tratamento adequado a dessa doença. Como alerta, a equipe do InfoFarma traz informações sobre essa condição e explica como o profissional farmacêutico pode ser o seu aliado no controle da pressão arterial.

A pressão arterial é aquela exercida pelo sangue dentro dos vasos sanguíneos com a força proveniente dos batimentos cardíacos.  Desse modo, a hipertensão arterial é uma doença crônica não transmissível caracterizada pela persistência do aumento do nível dessa pressão. O desenvolvimento da doença possui múltiplos fatores, sendo eles genéticos e comportamentais.

Um dos objetivos específicos do tratamento do paciente hipertenso é obter o controle da pressão, o que é feito a partir do uso de medicamentos e mudanças nos hábitos de vida.  Alguns cuidados são fundamentais para prevenir o desenvolvimento da doença. Para isso, deve-se praticar exercício físico regularmente; manter uma alimentação saudável e com consumo moderado de sódio; evitar fumar e ingerir bebidas alcoólicas; controlar o estresse; e realizar o adequado manejo de doenças como diabetes e hipertireoidismo.

O farmacêutico é essencial para a população na prevenção da doença, seja realizando educação em saúde ou atuando no rastreamento, a fim de permitir um diagnóstico precoce. Além disso, esse é o profissional capacitado a realizar o acompanhamento farmacoterapêutico, o que significa revisar os seus medicamentos, a fim de garantir que todos sejam indicados, efetivos, seguros e utilizados da melhor forma possível.

Não se esqueça: em caso de dúvidas, procure o farmacêutico. Cuide da sua saúde e de quem você ama!

*Texto escrito pela equipe de Farmácia do Instituto Mário Penna

InfoFarma e a atuação na prevenção do câncer de colo do útero

Estamos no mês de prevenção do câncer de colo do útero, Março Lilás, e esse tema é de grande importância para a Farmácia do Instituto Mário Penna. De acordo com a estimativa do Instituto Nacional de Câncer (INCA), o número de casos em 2020 foi de 16.590 pacientes e o número de mortes foi de 6.526 pacientes, sendo a quarta causa de morte por câncer no Brasil.

O risco de desencadeamento desse câncer aumenta com a atividade sexual precoce entre adolescentes, ter múltiplos parceiros e tabagismo. O câncer do colo de útero apresenta alterações celulares, que são descobertas facilmente no exame preventivo (Papanicolau), e são curáveis na quase totalidade dos casos. Por esse motivo, é importante e necessária a realização periódica desse exame.

Os tratamentos disponíveis para o câncer de colo do útero são a eletrocirurgia, cirurgia, a quimioterapia e a radioterapia, e devem ser avaliados pelo médico. Quando o paciente tem indicação para início de tratamento com quimioterapia, no Hospital Luxemburgo, ele passa a ser acompanhado pelo farmacêutico clínico.

O farmacêutico integra a equipe multiprofissional de saúde, que é responsável por realizar a educação em saúde, orientando o paciente sobre as medidas de prevenção e tratamento. Ele informa sobre a necessidade do uso de preservativos (camisinha masculina ou feminina) que previne o contágio pelo HPV pelo contato com a pele e mucosa da vulva, região perineal (região entre as coxas), perianal (região à volta do ânus) e bolsa escrotal. O farmacêutico também orienta que o HPV tem uma alta afinidade por mucosas, podendo acometer a mucosa oral, em caso de sexo oral.

Vale reforçar que as medidas de prevenção são complementares e, por esse motivo, as mulheres já vacinadas, a partir de 25 anos, devem realizar periodicamente o exame de Papanicolau, pois sabe-se que a vacina não protege contra todos os tipos de HPV.

Além disso, o farmacêutico avalia todos os possíveis problemas de saúde do paciente e todos os medicamentos utilizados, de forma holística, no qual refere-se ao cuidado do paciente como um todo, sem fragmentá-lo.

Cuide da sua saúde e de quem você ama!

*Texto escrito pela equipe de Farmácia Clínica do Instituto Mário Penna

InfoFarma: o setor de Farmácia e o Dia Mundial de Combate ao Câncer

O Dia Mundial de Combate ao Câncer foi celebrado no dia 4 de fevereiro. A data tem como objetivo a conscientização da população sobre a doença. O câncer é o nome dado a um conjunto de mais de 100 doenças que têm em comum o crescimento desordenado de células, que invadem tecidos e órgãos.

Dividindo-se rapidamente, estas células tendem a ser muito agressivas e incontroláveis, determinando a formação de tumores, que podem espalhar-se para outras regiões do corpo.

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), em 2020 no Brasil, a incidência estimada de novos casos para homem foi de 309.750, sendo que 29,2% dos casos foram de câncer de próstata. Em mulheres foram 316.280 novos casos estimados, sendo 29,7% de mama.

O profissional farmacêutico é um grande aliado na luta contra o câncer, atuando em diversas frentes no processo de utilização de medicamentos, dentre elas:

– Realiza anamnese (entrevista com o paciente) e avaliação farmacêutica;

– Verifica se a prescrição médica está de acordo com aspectos técnicos e legais;

– Promove intervenções terapêuticas, quando necessário;

– Participa de comitês de ética em pesquisa;

– Desenvolve plano de cuidado farmacêutico individual para cada paciente;

– Atua no processo de seleção, compra, armazenamento e dispensação do medicamento e assegura que ele seja administrado na dose, frequência, via de administração e horário corretos.

O câncer não tem uma causa única. Há diversas causas externas (presentes no meio ambiente) e internas (como hormônios, condições imunológicas e mutações genéticas). Os fatores podem interagir de diversas formas, dando início a doença.

Algumas dicas de prevenção são: não fumar, adotar uma alimentação saudável, praticar atividades físicas, evitar bebidas alcoólicas, evitar carnes processadas e realizar exames preventivos periodicamente.

Cuide da sua saúde e de quem você ama!

*Texto escrito pela equipe de Farmácia do Instituto Mário Penna

InfoFarma: confira um balanço do Setembro Amarelo

Que tal finalizarmos setembro falando sobre um tema que tem tudo a ver com essa época do ano? Para quem não sabe, o chamado “Setembro Amarelo” abre espaço para discutirmos um assunto extremamente necessário: a saúde mental. E claro, não podemos deixar de abordar os desafios e cuidados no uso de medicamentos indicado para o tratamento da depressão.

A depressão é uma síndrome psiquiátrica altamente prevalente e estima-se que acometa de 3% a 5% da população. Sabe-se que o enfrentamento de doenças pode favorecer o desenvolvimento da depressão (destacando doenças cardiovasculares, oncológicas e dores crônicas). A depressão requer acompanhamento médico especializado e o uso de medicamentos se faz necessário para o tratamento da doença, que não deve negligenciada ou tratada com preconceitos.

Existe uma vasta opção de medicamentos para o tratamento da depressão. De modo geral, podemos citar alguns cuidados que devem ser tomados para que o tratamento se torne efetivo e seguro.

  • Somente o médico pode receitar medicamentos para o tratamento da depressão, pois a venda sem receita é proibida. Denuncie qualquer estabelecimento que forneça medicamentos controlados sem exigência de receita médica!
  • No momento da aquisição do medicamento controlado, uma via da receita fica retida no estabelecimento. Lembre-se, portanto, de exigir uma cópia para conferência do modo de uso prescrito (dose, horário, recomendações específicas, etc).
  • Lembre-se de fazer o uso do medicamento conforme orientado pelo médico, seguindo o horário e a dose prescritos. Em caso de esquecimento, não tome a quantidade dobrada no dia seguinte. As falhas no uso do medicamento podem comprometer o seu efeito.
  • Os medicamentos para depressão podem demorar alguns dias ou semanas para iniciar o efeito. É importante ter isso em mente, para que não haja uma sensação de não efetividade. Durante esse período, compartilhe com amigos e familiares sobre o novo tratamento, pois pode ser necessário contar com o apoio dessas pessoas para contornar um possível agravamento inicial da doença, seguido de melhora progressiva.
  • O início do tratamento pode favorecer o surgimento de reações indesejáveis que, muitas vezes, melhoram ao longo das primeiras semanas. Procure o farmacêutico ou o médico para se informar sobre as reações comuns e os meios de minimizá-las. Em caso de persistência dos sintomas, o médico deverá ser consultado.
  • Nunca compartilhe o seu medicamento com outras pessoas! Essa prática, que muitas vezes vem acompanhada de boas intenções, pode prejudicar o outro e colocar sua saúde em risco!
  • Não interrompa o seu tratamento de forma abrupta. Isso pode gerar sintomas desagradáveis e comprometer sua saúde. Além disso, os sintomas da depressão poderão retornar de forma ainda mais intensa. Decida quando finalizar o tratamento juntamente com o seu médico, que irá orientá-lo sobre a retirada gradual do medicamento.

Lembre-se: você não está sozinho! Conte com o profissional farmacêutico para compartilhar dúvidas e inseguranças em relação ao seu tratamento!

Fonte: InfoFarma – Centro de Informação Farmacêutica em Oncologia

Olá, como podemos ajudar?

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.