fbpx

Instituto Mário Penna apoia campanha Março Lilás – mês de prevenção do câncer do colo de útero

O Instituto Mário Penna alerta para a prevenção do câncer do colo de útero com a campanha “Março Lilás – Poderosa mesmo é a mulher que se previne”. A prevenção primária está relacionada à diminuição do risco de contágio pelo Papilomavírus Humano (HPV). A transmissão da infecção ocorre por via sexual, presumidamente por meio de abrasões microscópicas na mucosa ou na pele da região anogenital (da vulva, vagina ou anus). O uso de preservativos durante a relação sexual protege parcialmente do contágio pelo HPV, que também pode ocorrer pelo contato com a pele da vulva, região perineal e perianal.

Segundo Dra. Telma Maria Rossi de Figueiredo Franco, Coordenadora do Serviço de Ginecologia Oncológica do Instituto Mario Penna, o risco de desencadear esse câncer aumenta com o início precoce da atividade sexual, ter múltiplos parceiros e o tabagismo.

O Ministério da Saúde implementou no calendário vacinal, em 2014, a vacina tetravalente contra o HPV para meninas de 9 a 13 anos e meninos entre 11 e 14 anos. “A vacinação e a realização do exame preventivo (Papanicolau) se complementam como ações de prevenção desse tipo de câncer. Mesmo as mulheres vacinadas, quando alcançarem a idade preconizada (a partir dos 25 anos), deverão fazer o exame preventivo periodicamente, pois a vacina não protege contra todos os tipos oncogênicos do HPV”; reforça Dra.Telma.

A médica explica que o câncer do colo de útero é uma doença de desenvolvimento lento, que pode não apresentar sintomas em fase inicial. Nos casos mais avançados, pode evoluir para sangramento vaginal intermitente (que vai e volta) ou após a relação sexual, secreção vaginal anormal e dor abdominal associada a queixas urinárias ou intestinais.

O tratamento para cada caso deve ser avaliado e orientado por um médico. Entre os tratamentos para o câncer do colo de útero estão a cirurgia, a quimioterapia e a radioterapia. O tipo de tratamento dependerá do estágio da doença e de fatores pessoais de cada paciente.

 

Instituto Mário Penna comemora 20 anos do Programa de Residência Médica

Há 20 anos, o Instituto Mário Penna carrega não só a missão de atender com excelência os seus pacientes, mas também de formar médicos capacitados para atender com maestria e de forma humanizada. O primeiro Programa de Residência Médica da instituição foi realizado em 2001, após ser aprovado pela Comissão Nacional de Residência, na especialidade de Clínica Médica.

De lá para cá, o Instituto também foi reconhecido e credenciado para formar novos médicos em outras 11 especialidades. Atualmente, são capacitados pelo corpo clínico do Instituto, médicos especialistas em Anestesiologia, Cancerologia Cirúrgica, Oncologia Clínica, Cirurgia de Cabeça e Pescoço, Cirurgia Geral, Hematologia, Mastologia, Medicina Intensiva, Radioterapia e Urologia. O programa também possui o curso de formação em Ginecologia Oncológica.

“Mais de 500 médicos residentes já se formaram no instituto. Os contemplados, são escolhidos através de um Processo de Seleção Unificado. Neste ano, tivemos 868 inscritos e oferecemos 42 vagas por ano. Destas, 23 são financiadas pela instituição. As outras 19 vagas, são oferecidas pelo Pró-Residência, um programa do Ministério da Saúde”; explica Dr. Ellias Lima, médico oncologista e Coordenador da Comissão de Residência Médica – COREME.

NEP: Dia Internacional de Mulheres e Meninas na Ciência

No dia 11 de fevereiro, o mundo inteiro comemorou o Dia Internacional de Mulheres e Meninas na Ciência. Este dia foi estabelecido pela Organização das Nações Unidas (ONU), há seis anos, e tem como objetivo de celebrar os feitos de mulheres na área e encorajar gerações mais novas a buscarem a carreira científica.

O Relatório de Ciências da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, e Unesco, publicado em alusão à data, aponta disparidades maiores em áreas altamente qualificadas, como inteligência artificial, onde apenas 22% dos profissionais são mulheres.

Por outro lado, segundo o mesmo relatório, em outras áreas de pesquisa, como em ciências da vida e saúde, as mulheres representam 60% do número de pesquisadores. Contra a Covid-19, elas, representaram 70% de todos os profissionais de saúde que lideram a resposta à pandemia. Contudo, ainda há um longo caminho a percorrer para a igualdade de gênero.

No Núcleo de Ensino e Pesquisa do Instituto Mário Penna, elas são maioria absoluta. Entre pesquisadores doutores e alunos de iniciação cientifica, elas representam 81%. Com seu jeito intuitivo, dedicado, inteligente e cheio de charme, elas veem fazendo ciência e contribuindo para melhorar a qualidade de vida dos pacientes oncológicos.

InfoFarma: o setor de Farmácia e o Dia Mundial de Combate ao Câncer

O Dia Mundial de Combate ao Câncer foi celebrado no dia 4 de fevereiro. A data tem como objetivo a conscientização da população sobre a doença. O câncer é o nome dado a um conjunto de mais de 100 doenças que têm em comum o crescimento desordenado de células, que invadem tecidos e órgãos.

Dividindo-se rapidamente, estas células tendem a ser muito agressivas e incontroláveis, determinando a formação de tumores, que podem espalhar-se para outras regiões do corpo.

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), em 2020 no Brasil, a incidência estimada de novos casos para homem foi de 309.750, sendo que 29,2% dos casos foram de câncer de próstata. Em mulheres foram 316.280 novos casos estimados, sendo 29,7% de mama.

O profissional farmacêutico é um grande aliado na luta contra o câncer, atuando em diversas frentes no processo de utilização de medicamentos, dentre elas:

– Realiza anamnese (entrevista com o paciente) e avaliação farmacêutica;

– Verifica se a prescrição médica está de acordo com aspectos técnicos e legais;

– Promove intervenções terapêuticas, quando necessário;

– Participa de comitês de ética em pesquisa;

– Desenvolve plano de cuidado farmacêutico individual para cada paciente;

– Atua no processo de seleção, compra, armazenamento e dispensação do medicamento e assegura que ele seja administrado na dose, frequência, via de administração e horário corretos.

O câncer não tem uma causa única. Há diversas causas externas (presentes no meio ambiente) e internas (como hormônios, condições imunológicas e mutações genéticas). Os fatores podem interagir de diversas formas, dando início a doença.

Algumas dicas de prevenção são: não fumar, adotar uma alimentação saudável, praticar atividades físicas, evitar bebidas alcoólicas, evitar carnes processadas e realizar exames preventivos periodicamente.

Cuide da sua saúde e de quem você ama!

*Texto escrito pela equipe de Farmácia do Instituto Mário Penna

“Música no Hospital” em ritmo de carnaval emociona pacientes

Esse ano o Carnaval vai ser diferente. Não vai ter os dias de folia com blocos e festas com os amigos. Mas o clima de esperança já está no ar para que, em breve, isso tudo volte a acontecer com segurança, saúde e muita alegria. Para matar um pouquinho da saudade, o projeto “Música no Hospital” desse mês foi em ritmo de carnaval, com samba, marchinhas e muita animação. O tema foi “Máscara para proteção, não para folião”.

A música foi comandada por Rayane Baldrini, Augusto Cordeiro e Ney Correa e a equipe de Humanização distribuiu kits com máscaras de proteção. O “Música no Hospital” é idealizado pelo Instituto Mário Penna e ECA – Espaço de Cultura e Arte. A proposta é contribuir na recuperação dos pacientes e na humanização do ambiente hospitalar. O projeto é destinado para aqueles que estão internados, seus familiares, visitantes e todos os colaboradores do hospital.

“Estou aguardando para fazer um exame e me deparei com essa música linda. É um alento para a alma nesse momento tão difícil que estou enfrentando. Esse som surgiu no momento certo porque estava precisando me distrair. Eu amo samba, cresci escutando isso. É emocionante porque no meio de tanta dor, é possível sentir que ainda existe muita alegria e amor. E isso me dá força; conta emocionada a paciente Anna Paula Sad Simões.

Para atender ao protocolo de segurança referente à Covid-19, os músicos e a equipe envolvida no projeto usaram máscaras e mantiveram o distanciamento recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Além disso, a apresentação aconteceu em área externa.

Olá, como podemos ajudar?