Um estudo sobre a implementação de um protocolo de vigilância ativa em câncer de próstata, realizado pela área de Pesquisa Clínica do Instituto Mário Penna – Ensino, Pesquisa e Inovação e coordenado pelo Dr. Renato Beluco Corradi Fonseca, médico preceptor da urologia do Mário Penna, em parceria com o Grupo de Uro-Oncologia do Hospital Moinhos de Vento, da cidade de Porto Alegre/RS, vem apresentando resultados que indicam importantes avanços na qualidade de vida de pacientes com câncer de próstata.

A vigilância ativa consiste no monitoramento mais próximo dos casos de câncer de próstata classificados como de baixo risco e pouco volume, ou seja, quando o tumor tende a ter uma evolução mais lenta no decorrer dos anos. Nessa abordagem de tratamento, o foco é evitar que o paciente seja submetido a procedimentos invasivos, evitando, assim, efeitos colaterais tais como a incontinência urinária, enjoos ou a disfunção erétil, possibilitando maior qualidade de vida e bem-estar.

Cíntia Lima

O estudo surgiu no Canadá e, desde 2010, tem sido utilizado para reduzir o número de intervenções desnecessárias em pacientes. A vigilância ativa é indicada para cerca de 30% dos pacientes que apresentam a doença classificada como baixo risco, parâmetros de estabilidade e que podem permanecer por anos sendo acompanhados sem apresentar risco de complicação ou morte.

A opção por adiar procedimentos mais invasivos está sendo cada vez mais utilizada pelos urologistas. Para isso, é fundamental que o paciente não abandone o tratamento e siga rigorosamente o acompanhamento periódico, com consultas, exames de PSA (coleta de amostra de sangue do paciente), toque retal e a ressonância magnética. É esse acompanhamento que visa orientar o paciente caso seja necessário optar por intervenções definitivas.

O estudo acerca da implementação do protocolo de vigilância ativa está sendo realizado em centros que representam as cinco regiões do Brasil, com a previsão de inclusão de 200 pacientes que, assim como os do Instituto Mário Penna, estão participando da pesquisa. A consolidação desta técnica representa uma opção no enfrentamento ao câncer de próstata e marca um significativo avanço na área da saúde humana com ênfase em oncologia.

Impactos no SUS

O câncer de próstata é o segundo tipo mais frequente entre a população masculina no Brasil. Apenas entre 2020 e 2022, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), foram 65.840 novos casos por ano, um número que representa cerca de 29% do diagnóstico da doença no país.

Além de benefícios para o paciente, a vigilância ativa também é positiva para o Sistema Único de Saúde (SUS). Uma vez que norteia o momento certo para a realização de intervenções de alto custo, essa abordagem de tratamento também possibilita a redução de gastos do sistema de saúde pública.

Fonte: Cíntia Maria de Lima | Gerente de Pesquisa Clínica do Instituto Mário Penna – Ensino, Pesquisa e Inovação

Olá, como podemos ajudar?

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.