“Foi um milagre, nós temos certeza”. O relato emocionante é de Leila, que durante 25 dias dividiu-se entre a função de ser mãe e a angústia de ter o marido internado com coronavírus. O caminhoneiro Marco Antônio Marques da Silva, de 41 anos, esteve no Rio de Janeiro recentemente, onde contraiu a doença. Dias após voltar de viagem, foi internado no Centro de Tratamento Intensivo do Hospital Luxemburgo. Foram quase 30 dias no hospital até que a volta para casa pôde finalmente acontecer. “Estamos muito felizes. Ele foi muito bem tratado no Luxemburgo, saiu de lá muito bem e agora se recupera em casa com a família”, disse Leila.

Marco Antônio foi o primeiro paciente com a  Covid-19 confirmada na Unidade de Terapia Intensiva do centro de saúde. Segundo o Coordenador do CTI do Instituto Mário Penna, Agnaldo Bicalho, era um caso emblemático. “Por se tratar de um paciente jovem, pela gravidade com que a doença se manifestou e pelo êxito no tratamento, ele mostrou para a equipe que o nosso trabalho deu certo”, contou o médico.

Seguindo as recomendações da Organização Mundial de Saúde, os pacientes que chegam ao Hospital Luxemburgo com suspeita de coronavírus são avaliados e, em caso de internação, colocados em uma área isolada, longe dos outros pacientes. “Neste caso também há a preocupação com os colaboradores, com a saúde deles, uma vez que o contato precisa ser evitado de todas as formas”, afirmou Agnaldo.

O médico responsável pelo CTI também afirmou que apesar de o tratamento para a doença ser comum e muitas vezes usado em outras patologias respiratórias, o fato de a Covid-19 ser uma doença nova, gera uma intensidade maior. “Toda alta é importante para nós. Mas esse foi o primeiro doente que nós recebemos com o coronavírus e a recuperação dele foi um marco. O desfecho foi bom e serviu para mostrar para a equipe que nós somos capazes”, finalizou.

Olá, como podemos ajudar?