fbpx

Projeto “Música no Hospital” traz primeira apresentação ao Instituto Mário Penna

O jardim do Hospital Luxemburgo se transformou em um espaço de música na manhã desta quinta-feira, 22 de outubro. O local foi palco da apresentação do projeto “Música no Hospital”, que em sua estreia, teve o concerto “Harpiola Duo”, com Cecília Pacheco, harpista, e Alysson Rodrigues, violista.

A apresentação teve duração de uma hora. O projeto é idealizado pelo Instituto Mário Penna e o ECA (Espaço de Cultura e Arte), destinado para aqueles que estão internados, seus familiares, visitantes e toda a equipe técnica do hospital. Estão previstas 12 apresentações, sendo uma por mês, até setembro de 2021.

O idealizador do projeto e analista de Projetos Institucionais do Instituto Mário Penna, Filipe Andrade Tavares Guimarães, conta que a ideia surgiu a partir da comprovação da capacidade da música em contribuir para a melhoria da saúde de um modo geral e, principalmente, para os pacientes oncológicos em situação de vulnerabilidade. “A música é uma forma de expressar emoções e sentimentos, sendo parte importante num processo terapêutico. Para a curadoria das apresentações, pensamos nessa leveza do instrumental, aliada a canções conhecidas pelo público”; reforça Filipe Guimarães.

“Meu pai foi agraciado hoje duas vezes. Primeiro porque o exame que ele veio fazer aconteceu bem cedo e, ao sair, foi contemplado com essa música maravilhosa. É um deleite para a alma em meio a tantos momentos tristes que nos deparamos aqui no hospital. Estou simplesmente encantada com o concerto e esses músicos tão tocantes”; diz Ivone Marins, acompanhante de paciente oncológico.

Para Gizelle Mesquita Evangelista, coordenadora do Setor de Humanização e Psicologia Hospitalar, a música faz com que as pessoas possam internalizar sentimentos positivos e também com que se sintam mais integradas e mais acolhidas num momento que, muitas vezes, é difícil em suas vidas. “Nosso objetivo com o projeto é de humanizar o ambiente hospitalar, harmonizando este local que é hostil, buscando trazer um momento de descontração, de alegria e de conforto através da música”, explica.

Projeto do Sesc/Senac leva música e aconchego ao Instituto Mário Penna

Após meses de atividades suspensas por conta do isolamento social, a rotina de muita gente vai sendo retomada aos poucos. Mas teve gente que precisou continuar trabalhando enquanto a maioria ficava em casa. Em homenagem a eles e a todos os outros que fazem a sua parte para conter a expansão da doença, o Sesc em Minas criou o Música e Aconchego, um respiro para quem está na linha de frente do combate ao vírus. Eles estiveram no Instituto Mário Penna no dia 15 de outubro, proporcionando um momento de reflexão e descontração aos colaboradores, pacientes e acompanhantes que estavam na portaria do PA SUS.

Um trio elétrico ficou parado bem de frente à entrada do Instituto. Lá de cima estavam três instrutores da Orquestra de Câmara Sesc – Ângelo Vasconcellos (violino), Priscila Varela (violoncelo) e Luciene França (piano). Os músicos tocaram composições de nomes como Bach, Beethoven, Mozart, entre outros.

“Quase me levou às lágrimas. A gente fica muito sensível durante o tratamento e uma música de qualidade como essa, nesse momento, nos faz flutuar. É muito bonito. Sou da cidade de Lagoa da Prata e estou aguardando meu transporte para voltar para casa. Esperar nunca foi tão bom. Estou muito emocionado com essa maravilha de música”; conta Osvaldo Cândido da Silva, paciente oncológico.

Este mês, o projeto abraça a Campanha Outubro Rosa do Sistema Fecomércio MG, Sesc e Senac, que alerta para a prevenção contra o câncer de mama e colo do útero.

NEP desenvolve projeto sobre tratamento de cânceres de colo de útero, ovário e mama

O Núcleo de Estudos e Pesquisas (NEP) do Instituto Mário Penna está desenvolvendo um projeto que tem como objetivo principal entender porque algumas mulheres com cânceres de colo do útero, ovário e mama não respondem à quimioterapia e à radioterapia, adotados como protocolos pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

O projeto é financiado pelo Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica (Pronon), que pertence ao Ministério da Saúde.

Segundo, Dra. Letícia da Conceição Braga, coordenadora de Pesquisa Básica e Translacional do Instituto Mário Penna, ao final do estudo será selecionado um conjunto de informações biológicas (biomarcadores) que possam ajudar nas decisões médicas para o tratamento mais individualizado e eficiente para cada mulher, aumentando as chances de sobrevida e proporcionando melhor qualidade e vida.

“A busca por biomarcadores de resposta ao tratamento quimioradioterápico e identificação de potenciais pacientes para novas abordagens de tratamento reforça a trajetória do Instituto Mário Penna como referência no cuidado do paciente oncológico; conclui Dra. Letícia da Conceição Braga.

Entenda como o projeto será aplicado:

 Câncer de Colo Uterino

Número de pacientes que serão selecionadas para o estudo: 96 pacientes

Pacientes com diagnóstico de malignidade: 96 pacientes

 

Câncer de Ovário

Número de pacientes que serão selecionadas para o estudo: 80 pacientes

 Pacientes com diagnóstico de malignidade: 50 pacientes

Pacientes sem sinais de malignidade: 30 pacientes de controle

 

Câncer de Mama

 Número de pacientes que serão selecionadas para o estudo: 150 pacientes

 Pacientes com diagnóstico de malignidade: 100 pacientes

Pacientes sem sinais de malignidade: 50 pacientes de controle

 

Aguarde! Em breve vamos divulgar mais ações do NEP!

Outubro Rosa do Instituto Mário Penna conquista parceiros para disseminar a importância da campanha

A IVECO, empresa de comercialização de caminhões e ônibus, também apoia a Campanha Outubro Rosa do Instituto Mário Penna. Neste mês, a empresa realiza uma websérie em conjunto com a instituição, para compartilhar informações de saúde, além de convidar pacientes e médicos para contar as suas histórias e tirar dúvidas. No decorrer deste mês, os vídeos serão publicados nas redes sociais do instituto.

Em parceria com a Prefeitura Municipal de Belo Horizonte, mil mulheres realizam durante o mês a mamografia preventiva no Instituto. Elas chegam encaminhadas diretamente pela Secretaria Municipal de Saúde.

Campanha IMP – A Campanha Outubro Rosa do Instituto Mário Penna deste ano tem como tema “Com a prevenção, os números estão ao seu lado”.

Reafirmando o compromisso em cuidar da sociedade sempre da melhor maneira possível, o Instituto está realizando 500 mamografias gratuitas para mulheres que têm acima de 50 anos, que não fizeram o exame preventivo nos últimos dois anos. Elas fizeram a inscrição no início do mês, quando as vagas foram divulgadas. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), o diagnóstico precoce do câncer de mama tem a chance de cura de 95%.

As colaboradoras da instituição que também pertencem a essa faixa etária estão realizando a mamografia e ainda trazendo outra mulher que ama para ser submetida ao exame, sem custo algum.

Segundo Dra. Kerstin Kapp Rangel, coordenadora da residência médica de mastologia do Instituto Mário Penna, a mamografia deve ser realizada anualmente pela faixa etária indicada pelo Ministério da Saúde para poder diagnosticar a doença em sua fase mais inicial. “A mamografia é o único exame capaz de reduzir em aproximadamente 30% a mortalidade por câncer de mama, pois permite a detecção da doença mais precocemente, antes do aparecimento das alterações palpáveis, possibilitando a cura em mais de 90% dos casos. O rastreamento do câncer de mama consiste na associação do exame clínico anual e da mamografia. O autoexame é capaz de detectar tumores em torno de 2,0 cm, mas queremos diagnosticar a doença bem antes disso.”; explica.

Medidas simples podem ajudar na prevenção: pratique atividades físicas regularmente; tenha uma alimentação saudável e equilibrada; mantenha um peso corporal adequado; não fume e evite o excesso de bebidas alcoólicas.

No último ano, quase 14 mil mamografias foram realizadas no Instituto Mário Penna. Além disso, aproximadamente 800 pacientes foram atendidos por especialistas de câncer de mama.

Outubro Rosa: Instituto Mário Penna faz ação para atletas na Arena MRV

Outubro é mundialmente conhecido como o mês de luta contra o câncer de mama, uma das doenças que mais causam a morte de mulheres no planeta. Para saber um pouco mais sobre como prevenir a doença, as atletas e a comissão técnica do time feminino do Atlético tiveram, na Arena MRV, uma palestra com profissionais e uma paciente do Instituto Mário Penna, maior referência no tratamento da doença em Minas Gerais. As jogadoras visitaram o Centro de Experiências da Arena MRV nessa 4ª feira (14), para apresentação do novo uniforme do time que será utilizado no restante da temporada.

Além do primeiro contato com o novo uniforme, as atletas viram como ficará a Arena MRV em uma maquete 3D, assistiram a um filme no cinema 180 graus do Centro de Experiências, posaram para fotos e ouviram a história de Jessimara Andrade, paciente que faz acompanhamento no Instituto Mário Penna.

“Tenho 40 anos e fui diagnosticada com câncer de mama aos 36. Já fiz cirurgia, quimioterapia e radioterapia. Hoje, tive a oportunidade de contar um pouco da minha história e experiência às atletas do time do coração. Gosto de conversar com outras mulheres para alertar. O câncer tem cura. Eu sou a prova disso, pois hoje não faço mais tratamento, apenas acompanhamento. Foi muito emocionante visitar a Arena MRV e conversar sobre o câncer de mama com essas mulheres fortes e guerreiras”, disse.

A coordenadora do futebol feminino do Atlético, Nina Abreu, celebrou a oportunidade de um dia tão especial para as atletas, com o lançamento do uniforme, conhecer a futura casa do Galo e ter contato com a equipe do Mário Penna. “É tudo muito especial! Fazer o lançamento do uniforme na Arena MRV e também muito importante o contato das jogadoras com uma guerreira na luta contra o câncer de mama. Só temos a agradecer ao Mário Penna, à Arena MRV e ao Atlético por essa oportunidade”.

Em nome do Instituto Mário Penna, o gerente de Relações Institucionais do hospital, Paulo Henrique Vieira, agradeceu ao Atlético e à Arena MRV pelo momento de conscientização da prevenção do câncer de mama junto ao time de futebol feminino do clube. “A campanha Outubro Rosa 2020 do Instituto tem como tema ‘Com a prevenção, os números estão ao seu lado’. Isso significa que 95% dos casos que têm diagnóstico precoces, têm cura. É importante disseminar esses números porque a nossa missão é tratar o paciente oncológico e queremos uma queda ainda maior dessa estatística”, finalizou.

*Com informações do Clube Atlético Mineiro

** Fotos: Clube Atlético Mineiro

 

Olá, como podemos ajudar?